Qual é a diferença entre anúncios responsivos e mobile first?

Normalmente, os termos “design responsivo” e “mobile first” se confundem, sendo tratados, por vezes, como sinônimos. Mas existe uma diferença entre o que é criado e otimizado para funcionar em diferentes tamanhos de tela e o que é pensado originalmente para funcionar bem em celular. Por isso, afirmamos que são conceitos com focos diferentes, mas que têm uma visão complementar. Vamos entender o porquê?

Um site, um anúncio ou um conteúdo criado com design responsivo tem seu layout adaptável, mutável automaticamente conforme o dispositivo em que é aberto, com versões para móvel ou desktop, independentemente do formato ou tamanho da tela. Isso quer dizer que ele não prioriza um ou outro, apenas projeta esse ajuste à melhor forma para cada usuário e sua tela, sem perda de qualidade na exibição (arquitetura das informações) e desempenho (acessibilidade e velocidade no carregamento dos dados).

Os benefícios de adotar design responsivo nos anúncios são:

  • Melhor ranqueamento no Google, já que a plataforma favorece sites adaptáveis;
  • Experiência compartilhada facilitando o envio do conteúdo aos contatos ou redes;
  • Aumento da taxa de conversão, com as compras via celular se popularizando.

Já no caso de blogs ou peças mobile first, os projetos são desenvolvidos pensando na experiência, usabilidade e visualização, primeiramente, em smartphones e tablets, entregando o que é essencial nesse cenário de telas, depois, em desktops (que, de certa forma, faz dessa técnica responsiva também). Esse conceito vem sendo cada vez mais difundido diante da utilização crescente e constante de dispositivos móveis em oposição aos computadores, sejam de mesa ou notebooks. Assim como no conceito anterior, aqui, também há preocupação com a exibição e o desempenho, mas há o ganho de funções específicas em celulares (geolocalização, touch screen, etc.)

As vantagens de desenvolver seus anúncios, segundo design mobile first:

  • Sites implementados com o conceito têm melhores posicionamentos no Google;
  • Melhor experiência do usuário na visita ao site e compartilhamento das informações;
  • Tempo otimizado de interação com o conteúdo para mais agilidade.

Depois desses esclarecimentos, se você está se perguntando qual é a melhor opção, saiba que a solução vai depender do perfil da sua audiência. Assim, uma empresa ou marca precisa ir em busca das adaptações, migrações de template, plug-ins ou mesmo reformular todo o projeto de modo a atender as expectativas do seu público, no dispositivo que costuma utilizar.

Quer receber conteúdo exclusivo no seu e-mail?
Obrigado pelo cadastro!

A versão mobile first é ideal para portais ou conteúdos que têm funcionalidades específicas que, em celulares, não têm o mesmo desempenho ou possibilidades como em computadores. A implementação do responsivo é bastante indicada para canais digitais que não tenham nenhuma particularidade voltada para telas maiores, o que facilita muito a adaptação para qualquer dispositivo.     

Por fim, é um fato e uma realidade que os conteúdos têm sido mais consumidos via dispositivos móveis, sejam para compras, interações, obtenção de informações, prova disso é a existência de uma geração de usuários “mobile only”, uma evolução do mobile first, mantendo o acesso exclusivamente por smartphones. Então, pensar e agir responsivamente já não são só ações diferenciais e tendências, mas uma necessidade da web que, além disso, pode tornar a navegação mais rica e interessante.

Com o suporte de um time especializado em marketing digital para analisar as estratégias que fazem mais sentido para o seu negócio e aplicar essas técnicas de estruturação, é possível manter os resultados em desktop, assim como ganhar espaço no universo mobile, sem perder tráfego ou ranqueamento nos motores de busca.